Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Dia do Alcochetano culmina com homenagem ao campino, forcado e salineiro

Homenagem festasbv 1 750 2500
13 Agosto 2013
Ontem, 12 de Agosto, a vila de Alcochete viveu um dos dias mais característicos das Festas do Barrete Verde e das Salinas com um dia dedicado aos “filhos da terra”. No Dia do Alcochetano, o programa das Festas é, tal como o nome sugere, inteiramente dedicado aos alcochetanos, havendo lugar para um almoço convívio nas ruas da Festa e, à noite, para ouvir a tão aclamada Banda da Sociedade Imparcial 15 de Janeiro de 1898 e reavivar as figuras emblemáticas que integram a história local, com uma homenagem ao Campino, ao Forcado e ao Salineiro.

O Largo de São João lotou para assistir a mais um concerto da Banda da Sociedade Imparcial 15 de Janeiro de 1898 que, mais uma vez, mostrou a sua multiplicidade e qualidade artística com a interpretação de pasodobles e músicas portuguesas sobejamente conhecidas do público. Sob a direcção musical do maestro António Menino, a Banda da Sociedade Imparcial assume-se como um forte elemento da identidade cultural e, como tal, são presença assídua em todas as edições das festividades.

E foi ainda no palco de São João que se viveu mais um momento emblemático deste dia: a homenagem ao Campino, ao Forcado e ao Salineiro. Joaquim Carlos Santos (Campino), António Carlos Cruz (Forcado) e Claudino Saturnino (Salineiro) foram os homenageados deste ano, representando assim as tradições e as memórias de um Concelho associado à salicultura, à festa brava e à lezíria.

Durante a homenagem o Presidente da Câmara Municipal, Luís Miguel Franco, salientou que quer as Festas do Barrete Verde e das Salinas, quer a Banda da Sociedade Imparcial 15 de Janeiro de 1898, quer as figuras basilares do Campino, do Forcado e do Salineiro são elementos fundamentais na história local, assumindo-se como elementos que distinguem a identidade local do Concelho.

Para além das homenagens a estas figuras, o Aposento do Barrete Verde distinguiu também, com a entrega de uma lembrança simbólica, Francisco Garrett da Silva, a Junta de Freguesia de Alcochete e a Câmara Municipal de Alcochete.

E sendo Alcochete apelidada por muitos como “terra mãe de forcados”, o Dia do Alcochetano começou com uma demonstração da arte de pegar toiros na Rua José André dos Santos, pelo Grupo de Forcados do Aposento do Barrete Verde, e na Avenida 5 de Outubro, pelo Grupo de Forcados Amadores de Alcochete. Depois de algumas demonstrações levadas a cabo pelos mais novos, que já nutrem o gosto pela “arte de pegar toiros”, seguiu-se o almoço convívio pelas ruas da Festa.

E para quem ainda não conhece o espírito bairrista que caracteriza estas Festas, este é o momento ideal para o descobrir. Mesas enormes e gastronomia tradicional invadem as ruas da Festas e convidam momentos de convívio entre os residentes da Vila que, anualmente, também contribuem para a singularidade destas Festeas com os borladeros ou com a decoração típica das varandas que, durante estes dias, dão um colorido especial ao Núcleo Antigo da Vila de Alcochete.

Município de Alcochete © 2015 | Todos os direitos reservados

wc3 wcag 2.0 amrs logotipo logotipo wiremaze