Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Passeio do Tejo

  • imagem
  • imagem
  • imagem

 

A antiga muralha preservada no Passeio do Tejo

O contacto permanente que existiu ao longo dos tempos com o Tejo configura-o como um elemento indissociável da identidade alcochetana. Contudo, esta relação nem sempre foi pacífica e são muitos os relatos de fúria e destruição que o Tejo infligiu na zona ribeirinha da vila.

No Passeio do Tejo, inaugurado em abril de 2014, observa-se uma parte do “murete”, construído em meados do século XX que a câmara municipal decidiu preservar no âmbito da requalificação da Frente Ribeirinha de Alcochete.

Preservar o património edificado é também uma forma de manter na memória futura a nossa história e a nossa génese identitária.

Com uma extensão de 1000 metros a muralha estende-se ao longo da rua do Norte, largo da Misericórdia e avenida D. Manuel I. A sua origem remonta ao século XVI se considerarmos a construção de uma “muralha” em torno do promontório da igreja de Nossa Senhora da Vida, determinada pela necessidade de defender o burgo das fustigações do rio.

Saiba mais sobre esta construção que tem protegido o casco urbano de Alcochete ao longo dos séculos e sobre a íntima e perigosa ligação ao Tejo que faz parte do ser alcochetano.

 

A muralha – primeira barreira aos avanços do rio

As vitórias e derrota da beira Tejo 

Requalificação da Frente Ribeirinha 

Município de Alcochete © 2015 | Todos os direitos reservados

wc3 wcag 2.0 amrs logotipo logotipo wiremaze