Hoje
Hoje
Máx C
Mín C
Amanhã
Amanhã
Máx C
Mín C
Depois
Depois
Máx C
Mín C

Comemorações 500 Anos do Foral

 

2015 vai permanecer na memória como o ano em que o Município de Alcochete festejou os 500 Anos da atribuição do Foral à vila de Alcochete por D. Manuel I. A Feira Quinhentista, o lançamento do vinho “Foral de Alcochete”, as provas equestres, as exposições, o teatro, a música, as palestras e as atividades para crianças e jovens envolveram toda a comunidade e enalteceram a História e identidade locais.

Música, dança, teatro, animação musical, serviço educativo, exposições, atividades para as famílias, palestras, edições de livros e eventos desportivos, numa exaltação da cultura, da tradição e das gentes, animaram o concelho durante os 365 dias do ano num total de 287 sessões e 9.279 participantes, contabilizando apenas as atividades em recintos fechados.

A Feira Quinhentista, pelo envolvimento da comunidade educativa e a “transformação” de Alcochete numa vila de quinhentos, merece um lugar de destaque. Nela participaram 600 figurantes e foram realizadas quase três dezenas de atividades distribuídas por 80 sessões. Animações de rua, entradas régias, danças quinhentistas, rábulas vicentinas, jogos medievais, torneios e combates, teatros de fantoches e marionetas, falcoaria e queimadas galegas animaram os três dias da Feira, organizada pela Câmara Municipal, Agrupamento de Escolas de Alcochete e Associação Gilteatro. Mas o envolvimento da comunidade educativa nas comemorações dos 500 anos do Foral de Alcochete já se tinha feito sentir no desfile carnavalesco das escolas em Fevereiro com o “Carnaval a la Quinhentos”, inspirado na sociedade da época, com representação das várias classes, momento lúdico que permitiu aos alunos, professores e pais fazer uma abordagem aos vários aspetos da sociedade ao tempo de D. Manuel I. Neste desfile participaram 380 foliões.

Numa evocação do período dos Descobrimentos, o lançamento do vinho com a marca “Foral de Alcochete” foi outro acontecimento de destaque em 2015, que resultou da parceria da Câmara Municipal com a Sociedade Agrícola de Rio Frio. O evento foi animado pela recriação da chegada de uma embaixada cultural do rei D. Manuel I à ponte-cais e de uma animação histórica junto ao Núcleo de Arte Sacra.
A Sociedade Agrícola de Rio Frio, que se destaca pela projeção nacional e internacional do seu Polo Equestre, associou-se também às comemorações dos 500 anos do Foral com a realização da Festa do Cavalo Rio Frio, a 6 e 7 de Junho, evento que reuniu mais de 100 cavaleiros, e o Festival Internacional de Outono, com 97 binómios, em novembro.

O Foral de Alcochete esteve em particular evidência na exposição, com entrada livre, realizada no Núcleo Sede do Museu Municipal, que registou 1.095 visitantes. Esta exposição de “O Foral Manuelino de Alcochete” deu a conhecer a génese do concelho e alguns aspetos que caraterizam a governação de D. Manuel I. O Núcleo de Arte Sacra do Museu Municipal também acolheu, durante seis meses, a exposição “Trajes Quinhentistas”, cedida pelo Museu Nacional do Traje, em que estiveram expostos 12 trajes que encenaram a impressionante embaixada que o rei D. Manuel I enviou ao Papa Leão X a 12 de março de 1514, e que foi apreciada por 684 visitantes.

Com 1700 visitantes, a ALCARTE é também outra exposição de destaque, que se realizou nas Festas do Barrete Verde e das Salinas e que em 2015 esteve subordinada à temática dos “500 de História”. Em fevereiro, a peça teatral “À Barca”, realizada pela Associação Artística Andante, esgotou a sala do Fórum Cultural com um espetáculo em que participaram membros dos Clubes de Leitura em Voz Alta, elementos da Sociedade Imparcial 15 de Janeiro de 1898, do Conservatório Regional de Artes do Montijo e do Grupo de Danças e Cantares da Fonte da Senhora. As populares obras de Gil Vicente também vieram até Alcochete com os espetáculos “Auto da Barca do Inferno” representado pela Companhia de Teatro O Sonho e “Auto da Índia” pela Associação Gilteatro.

A vertente histórica do Foral e a influência do reinado de D. Manuel I foram explicitadas num ciclo de palestras, a primeira das quais teve como tema “As origens do concelho e o Foral manuelino de Alcochete”, proferida pelo investigador José Manuel Vargas, e que contou com o lançamento da edição digital do “Foral de Alcochete e Aldeia Galega”. Este ciclo de palestras incluiu ainda a temática “D. Manuel I, filho de Alcochete, rei reformador”, por João Paulo Oliveira e Costa, e encerrou com a palestra “Da Igreja Matriz à Misericórdia: um percurso pela arte em Alcochete ao tempo de D. Manuel I”, apresentada por Paulo Fernandes. No total assistiram às três palestras 116 pessoas.

As comemorações dos 500 Anos do Foral tiveram igualmente expressão nas atividades desenvolvidas pelos serviços educativos da Biblioteca de Alcochete e do Museu Municipal. As crianças do pré-escolar e 1.º Ciclo foram presenteadas com um jogo pedagógico, “O Foral aos Quadradinhos”, baseado em cartões com os símbolos do poder real, das atividades económicas, das profissões e dos principais produtos. Este jogo abrangeu 434 crianças.

Outra das iniciativas da Biblioteca, a Semana da Leitura, levou às escolas as “Histórias de um Príncipe do Renascimento” contadas a 1524 alunos do pré-escolar e a arte da iluminura não foi esquecida com o ateliê “Por um dia iluminador” que envolveu 478 alunos do 1.º e 2.º Ciclos do Ensino Básico. Em parceria com o Museu Municipal foi também dinamizada a atividade do contador pedagógico “À descoberta do Foral” em que participaram 377 alunos e que contou ainda com duas sessões dedicadas a pais e filhos. 

A biblioteca de Alcochete foi também palco para a apresentação, em abril, do livro “Daqui e d´além-mar – 500 Anos do Foral de Alcochete contado às crianças”, escrito por Andreia Varela e Jorge Moniz com ilustração de Geandra Lipa, e editado pela Alfarroba Edições, evento que decorreu em duas sessões, em que participaram 93 pessoas.

A biblioteca de Alcochete foi também responsável pela divulgação do xadrez junto do público de várias idades com as atividades Jogar Xadrez em 3D, um workshop sobre “O Xadrez ao longo dos tempos” e três torneios, contabilizando um total de 201 participantes.

Os núcleos museológicos também abriram as suas portas às escolas para comemorar os 500 Anos do Foral. Durante o período escolar realizou-se no Núcleo Sede a atividade “Alcochete no reinado de D. Manuel” e para pais e filhos foram dinamizadas as atividades “Conheces o rei D. Manuel I?” e o jogo “A aventura das Descobertas”. Nos períodos de interrupão letiva, o Museu Municipal realizou também a atividade “O fausto no reinado de D. Manuel I” e, tendo como ponto de partida o Núcleo de Arte Sacra, foram realizadas numerosas visitas temáticas dirigidas ao público em geral com um itinerário centrado no rei D. Manuel I e nos vários vestígios do período quinhentista, na bandeira da Misericórdia de Alcochete e no seu autor, nos trajes da época de quinhentos e na pintura e escultura dos santos mártires.

A animação musical foi uma constante na programação cultural de 2015 com vários espetáculos. A Igreja de Samouco foi o palco escolhido para o espetáculo das Louçanas, um grupo de vozes femininas que divulga o repertório de música antiga, composto por cantigas medievais galego-portuguesas, música sefardita e renascentista. Assistiram a este espetáculo 90 pessoas. “Os Coros de Zarzuelas Famosas”, pelo Coro Juvenil de Lisboa do Teatro Nacional de São Carlos, sob a direção do mastro Nuno Margarido Lopes, subiu ao palco do Fórum Cultural para um público composto por 180 pessoas. Os espetáculos com o Ensemble de Guitarras, Coro Juvenil e Quarteto de Violinos do Conservatório Regional de Artes do Montijo animaram 2015 e registaram 209 pessoas e os espaços públicos da Vila vibraram com a animação de rua pelos Albaluna, espetáculo que integrou a programação do Festival de Artes Performativas de Rua – Julho+Quente.

No dia 27 de setembro, no âmbito do Dia Mundial do Turismo, o quarteto de sopros e percussão Il Dolcimelo percorreu os principais largos da Vila com o espetáculo “Charamelas d´El-Rey” num diálogo entre a música sacra e de corte e, no dia 2 de outubro, o mesmo grupo subiu ao palco do Fórum Cultural para apresentar o espetáculo “Foral Manuelino” com música vocal e instrumental dedicada à vida cortesã nas primeiras décadas do século XVI. O Vox Cantatis e Trio de Flautas e o Ensemble Senhora del Mundo protagonizaram outros acontecimentos no âmbito das comemorações dos 500 anos do Foral de Alcochete.

Foram, assim, muitos os momentos que pautaram o quotidiano do concelho de Alcochete através de atividades promovidas pela Câmara Municipal e por outras entidades parceiras, às quais o Município brindou, no dia de encerramento das comemorações, com a oferta de uma lembrança. 

 





Município de Alcochete © 2015 | Todos os direitos reservados

wc3 wcag 2.0 amrs logotipo logotipo wiremaze